História da Câmara Municipal de Ipiaú. PDF Imprimir E-mail

Os Primeiros Vereadores de Ipiaú

A história começa com a instalação da Primeira Câmara Constitucional, fato ocorrido às 13 do dia 20 de maio do ano de 1936, na então Villa de Rio Novo, em um edifício destinado, provisoriamente a essa solenidade, em virtude de se encontrar em obras o prédio da Prefeitura. A solenidade foi presidida pelo Pretor Eleitoral, Alberto José Pinto, e reuniu grande numero de cidadãos, representativos de todas as classes sociais.


Antigos Vereadores de Ipiaú

 


Após analisar o histórico acontecimento, salientando a “ação benfazeja” do então Governador do Estado,Capitão Juracy Montenegro Magalhães, secundada com os esforços do Dr.Alfredo Brito,pela emancipação de Rio Novo, o presidente da solenidade convidou os vereadores eleitos a exibirem os seus diplomas e ocuparem os seus lugares.


Mesa Diretora

Compareceram os vereadores Licurgo di Araújo, Antonio Motta Bittencurt, Anibal Azevedo, Antonio Araponga e Francelino Gualberto da Silva que após prestarem o compromisso legal foram empossados em nome da Lei. Em seguida  aconteceu a a eleição para a Mesa Diretora  que ficou constituída pelos vereadores Licurco di Araújo(Presidente), Antonio Araponga( 1º Secretário) e Antonio Motta Bittencurt (2º Secretário).Coube ao  recém empossado Presidente da Câmara a honra de  empossar, momentos depois,o primeiro prefeito eleito,Leonel Dias de Andrade.

 

Vereador Antonio Mota

 



Retardatários

Os vereadores  Jovino Astré Palma, Lotavino de Almeida Ribeiro e Antonio Nunes Pacheco, deixaram de comparecer à solenidade e só foram empossados no dia seguinte (21 de maio) quando aconteceu a primeira sessão ordinária da Câmara.O grupo retardatário formaria o bloco de oposição ao prefeito Leonel Andrade.Com esses atos teve inicio a historia constitucional do município de Rio Novo (atual Ipiaú) cuja emancipação política ocorreu no dia 2 de dezembro de 1933.

 

Lotavino de Almeida Ribeiro


 

1948: “A Segunda Câmara”

Em setembro de 1937 o então presidente Getulio Vargas, decide preparar um golpe de estado que estabeleceu uma  ditadura que  se prolongou  por quase 10 anos, e ficou conhecida com “O Estado Novo”.Nesse período foram dissolvidas  as  representações do Poder Legislativo e do  Poder Judiciário e Vargas ficou  com o direito de   indicar  prefeitos e  governadores que ficaram conhecidos como interventores.A primeira  Câmara Municipal de Rio Novo tinha pouco mais de um ano de instalada quando sofreu esse  duro  golpe.


No ano de 1948, com a democracia restabelecida, foi instalada a segunda Câmara de Vereadores de Ipiaú (antigo Rio Novo). O fato aconteceu no dia 17 de janeiro, às 19 horas, no Paço Municipal, com a presença do Juiz Eleitoral, Milton Costa. Na oportunidade foram empossados os vereadores José Borges de Barros, Agostinho Cardoso Pinheiro, Salvador da Matta,Waldemiro Santos,César Monteiro Pirajá,João Prazeres,João de Alencar, Manoel Muniz de Oliveira e Oseas Abdon Fahir, pela União Democrática Nacional(UDN), além de José Motta Fernandes, Sandoval Alcântara e Eurico Sá Leite,  pelo Partido Social Democrático(PSD).

 

Salvador da Mata e José Motta


 

Após a posse dos vereadores foi eleita e empossada a Mêsa Diretora da Câmara que esteve assim constituída: Presidente-José Borges de Barros; Vice-Presidente- Waldemiro Santos; 1º Secretário-Salvador da Matta; 2º Secretário- João Prazeres. No mesmo dia foi empossado, pelo Presidente da Câmara,  o  prefeito Pedro Caetano Magalhães de Jesus.


A maioria dos vereadores da nova Câmara tinha curso superior e isso qualificou o Poder Legislativo Municipal de tal maneira que Ipiaú passou a ser respeitado pelas autoridades políticas do Estado e da União. Essa extraordinária ”Câmara de Doutores” desenvolveu um trabalho exemplar e elaborou importantes projetos para o desenvolvimento do município.

 

 

A Terceira Legislatura


No dia 7 de abril de 1951, às 17 horas, no Salão do Plenário da Câmara, o Juiz Eleitoral, Milton Costa, presidiu a solenidade de posse dos vereadores eleitos  no pleito  realizado em 3 de outubro de 1950.A terceira legislatura da historia política do Município de Ipiaú, foi inicialmente constituída pelos vereadores Agrário dos Santos França, Alfredo Laureano da Silva, Alcebiades Casaes Andrade, Ernesto Barbosa dos Santos, Eurico de Sá Leite, Eunisio Coelho Teixeira, José Borges de Barros, José Rufino de Santana, Pedro Caetano Magalhães de Jesus, Pedro Nunes de Oliveira, Protogenes Mendonça Jaqueira e Sandoval Fernandes Alcântara .

A primeira Mesa Diretora dessa Legislatura foi presidida pelo vereador Sandoval Fernandes Alcântara (representante do distrito de Ubatã), tendo como 1º Secretário o vereador Agrario dos Santos França e 2º Secretário o vereador Alcebiades Casaes Andrade. O Vice-presidente foi o vereador Ernesto Barbosa dos Santos.


Sandoval Alcântara


Debate Acirrado - Logo após a solenidade da posse, teve inicio, no mesmo local, às 18 horas a primeira sessão ordinária dessa legislatura. O evento foi marcado por acirrados debates entre udenistas e pessedistas, tendo na linha de frente o vereador reeleito pelo PSD, Eurico de Sá Leite e o  ex prefeito Pedro Caetano, forte liderança da UDN que havia deixado o Poder Executivo para concorrer a uma vaga na Câmara Municipal.

Em seu discurso o vereador Eurico de Sá atacou a política da UDN local que foi derrotada nas ultimas eleições, tecendo comentários sobre perseguições sofridas pelo pessedismo municipal, apontando nomes de funcionários demitidos sem causa justa, atacando com veemência o então prefeito de Ipiaú, ou seja, o próprio Pedro Caetano, ”pelos seus desmando e péssima administração”. Disse que a UDN estava nesta hora mendigando os cargos do presidente Vargas, como aconteceu com João Cleofas e Juracy Magalhães que aceitavam cargos de um governo a quem tanto o seu partido combatia. Finalmente afirmou que a Câmara passada composta da maioria udenista lavrava as suas atas em casas dos seus correligionários, fora das sessões, agindo em franco desrespeito à Lei Orgânica dos Municípios.

Prosseguindo o vereador Eurico de Sá assegurou que os coligados do PSD, maioria na atual Câmara, estavam dispostos a atender a minoria contanto que seus atos fossem a favor do povo, e que esses coligados pessedistas  tudo fariam para engrandecer Ipiaú em cuja frente estava  o prefeito José Muniz Ferreira.

Ao usar da palavra o vereador e ex-prefeito Pedro Caetano, assegurou  que jamais  pretendia assumir a cadeira de vereador, mas sabendo que o vereador Eurico de Sá Leite,iria lhe fazer acusações injustas, estava ali para rebatê-lo. Disse que nunca persegui a ninguém e teceu explicações sobre a ação da sua administração municipal na sede e nos distritos de Barra do Rocha, Ibirataia e Ubatã. Concluindo, Pedro Caetano salientou que estava disposto a uma política sistemática.

A sessão prosseguiu com aparte e pronunciamentos de outros vereadores a exemplo de José Rufino de Santana (representante de Barra do Rocha), Protogenes Mendonça Jaqueira, Alfredo Laureano da Silva, Pedro Nunes Oliveira e Eunisio Coelho Teixeira (representante de Ibirataia).


Protogenes Jaqueira

 

 

Requerimentos, Moções e Comissões na Segunda Sessão da Terceira Câmara.


Apesar das rivalidades políticas expressas em acirrados debates, existia um clima de cordialidade e respeito entre as duas bancadas que compunha a Terceira Câmara. Logo na segunda sessão ordinária, realizada em 11 de abril de 1951, o vereador Eurico de Sá leite fez questão de apresentar um “Voto de Congratulação”, ao vereador Pedro Caetano Magalhães de Jesus pelo transcurso do aniversário deste na mencionada data. Na oportunidade Eurico de Sá também apresentou um “Voto de Saudade e Homenagem Póstuma” ao político Lauro de Freitas morto em trágico acidente durante uma campanha eleitoral. O mesmo vereador também apresentou uma Moção de Solidariedade da Câmara de Ipiaú ao Governador da Bahia, Luis REGIS PACHECO Pereira. Todos os pedidos foram aprovados por unanimidade.


Requerimentos - Os vereadores Protogenes Mendonça Jaqueira, Pedro Caetano, Eunisio Coelho Teixeira, Eurico de Sá Leite, Alfredo Laureano da Silva, Pedro Nunes de Oliveira, Ernesto Barbosa, José Rufino de Santana e Agrario França, assinaram o Requerimento nº 1, que solicitava à Mesa da Câmara que se dirigisse até a Secretaria Estadual de Viação e Obras Publicas e manifestasse ao órgão a necessidade da conservação e melhoria da rodovia Ipiaú-Jequié que se encontrava em péssimo estado, ameaçando grande perigo para as vidas daqueles que precisam viajar para atender seus negócios e interesses”. No documento destaca-se  que a situação mais grave era no trecho próximo à Estrada de Ferro Jequié-Ubaitaba.

Outro requerimento interessante apresentado na mesma sessão, pelos vereadores Elísio Coelho Teixeira, Protogenes Jaqueira e Pedro Caetano foi o que propões à Mesa da Câmara que se dirigisse aos proprietários do Serviço de Alto Falantes local no sentido de solicitar dos mesmos que diminuíssem a tonalidade dos seus aparelhos, notadamente na circunvizinhança do prédio da Câmara de Vereadores, em virtude de perturbar os serviços da mesma.

Essa reivindicação talvez tenha sido um dos primeiros atos de protesto contra a poluição sonora na cidade.

 

Ernesto Barbosa

 

Comissões - Em seguida aconteceu a eleição das Comissões Permanentes de Trabalho que ficaram assim constituídas:


Comissão de Instrução Publica e Justiça - José Borges de Barros, Eunisio Coelho Teixeira e Agrario Santos França;


Comissão de Obras Publica e Urbanismo - Alfredo Laureano da Silva, Pedro Nunes de Oliveira e Protogenes Mendonça Jaqueira;


Comissão de Finanças - Alcebíades Casaes Andrade, Eunisio Coelho Teixeira e José Rufino de Santana.

(ASCOM-José Américo Castro).

 

 

 

 


 

 

 

O dia em que  Jorge Amado esteve na Câmara Municipal de  Ipiaú.

 

10 de agosto de 2012 é a data em que será comemorado o centenário do nascimento do escritor Jorge Amado. Essa celebridade internacional também faz parte da historia da Câmara Municipal de Ipiaú. Ficou na memória da comunidade local o dia 2 de dezembro de 1994(data do 61º aniversário da emancipação política deste município) quando o celebre escritor visitou a cidade e foi alvo de uma inesquecível homenagem nesta casa legislativa.


 

 

Na ocasião Jorge Amado estava acompanhado de sua mulher Zélia Gattai e dos amigos Calasans Neto (Mestre Calá), um dos mais importantes artistas plásticos da Bahia, e do médico cardiologista Jadelson Andrade, filho da terra, os quais também foram homenageados.


Os ilustres visitantes foram agraciados com a “Comenda Altino Cerqueira”, a mais importante honraria do município.


A Sessão Solene, iniciada às 20 horas, foi assistida por centenas de pessoas, algumas delas de outros municípios da região. Tanto o salão do Plenário quanto a Praça Alberto Pinto, onde em um telão era projetado o inesquecível acontecimento, estavam literalmente tomados pela multidão.


Ao se aproximar do prédio da Câmara, por volta das 20hs30min, Jorge foi saudado com o rufar dos tambores do candomblé do Pai Nado.Era a voz dos orixás no abre alas para a cerimônia apoteótica.Salve Jorge, Salve Ipiaú.


Coube ao então presidente da Câmara, vereador Edvaldo Santiago (Tatai) o discurso de abertura da lendária sessão. “É uma alegria indescritível para Ipiaú este momento. Nesta apresentação humilde e simples, quero dizer que estamos começando uma festa de amor”, destacou o orador”.


Em seguida o presidente abriu espaço para que os autores dos projetos que resultaram na concessão da honraria, também saudassem os homenageados e procedesse a condecoração.


O primeiro foi o vereador Herbeth Emanoel Campos (PSDB) que condecorou o médico Jadelson Andrade, depois foi a vez da vereadora Miralva Rios Rezende (PMDB) colocar no peito de Calasans Neto a medalha símbolo da comenda. Em seguida o vereador João Tavares Alcântara (Jonga)-PP - condecorou Jorge Amado. O publico aplaudiu demoradamente.

Coisas Inteligentes

Após os atos das condecorações, Jorge Amado deu inicio a um longo e emocionado discurso de agradecimento. Revelou a importância da homenagem, destacou a presença de outros escritores (Euclides NetoSá BarretoClodomir Xavier) no salão e revelou:


-Estou muito honrado em receber da cidade de Ipiaú esta comenda que recorda um homem, um educador que dedicou sua vida à cultura, união e bem estar da população. “Mais que honrado estou contente, pois estou entre amigos. O que eu vi aqui foi espantoso. Vários discursos bons, com os oradores dizendo coisas inteligentes, enquanto saudavam a Jadelson, a Calasans e a mim. Disseram bem e sobretudo com o calor da amizade que traz uma beleza sempre profunda nas palavras pronunciadas”.


Na oportunidade o autor de “Gabriela,Cravo e Canela”, também falou de literatura e fez uma referencia especial ao escritor ipiaúense Euclides Neto,classificando-o como” um dos maiores ficcionistas da região cacaueira”.De Jadelson Andrade, ele disse: “É um homem de ciência que está crescendo a cada dia e que honra os cidadãos de Ipiaú”.


Concluindo seu pronunciamento Jorge Amado mostrou em palavras simples a grandeza da sua gratidão:


- A beleza das coisas não está na riqueza, a beleza das coisas é mais profunda. Está nas pessoas, está naquilo que se faz com carinho e com amor. Em Ipiaú me sentir comovido em todos os momentos. Rir e chorei. Foi tão bonito e fez com que eu jamais me esqueça desta cidade”.